Preço do bitcoin cai após Turquia proibir pagamentos com criptomoedas | Finanças




Após uma sequência de recordes, o preço do bitcoin (BTC) caiu 6% nas últimas 24 horas depois que o governo da Turquia anunciou que irá banir o uso de criptomoedas como forma de pagamento. O país se encontra em uma situação econômica turbulenta que levou parte da população a trocar a lira turca por moedas digitais e estrangeiras. A proibição entrará em vigor no dia 30 de abril.

Governo turco quer recuperar controle monetário e forçar o uso da moeda nacional (Imagem: QuoteInspector/Flickr)

Governo turco quer recuperar controle monetário e forçar o uso da moeda nacional (Imagem: QuoteInspector/Flickr)

Nesta sexta-feira (16), o bitcoin atingiu o preço mínimo de US$ 60.033, de acordo com o índice CoinDesk. Ontem, a criptomoeda chegou a ser negociada por mais de US$ 64 mil, próximo ao seu recorde registrado na quarta-feira.

O banco central da Turquia afirmou hoje que as criptomoedas seriam excessivamente voláteis e propícias a atividades ilegais. Diante dessa conclusão, a decisão foi de proibir o uso de moedas digitais em pagamentos, enquanto a posse e movimentação entre carteiras digitais ainda são permitidas.

As autoridades turcas justificaram a medida argumentando também que os criptoativos “não estão sujeitos a nenhum mecanismo de regulamentação, supervisão, e nem a uma autoridade regulatória central”.

Turquia quer forçar uso da moeda nacional

A proibição também fará com que o governo da Turquia recupere parcialmente o controle monetário sobre que havia perdido nos últimos meses. Sem o bitcoin e outras moedas digitais, os turcos serão forçados a usar dinheiro fiduciário para realizar pagamentos. Contudo, o acesso a moedas estrangeiras, como o dólar e o euro, também pode sofrer restrições para forçar o uso da lira.

“Há um objetivo de manter um controle rígido sobre o sistema de pagamentos, especialmente em um ambiente onde o presidente Erdogan deseja muito que os turcos tragam seu dinheiro e ouro”, disse Wolfango Piccoli, co-presidente da empresa de análise Teneo, ao Wall Street Journal.

A medida entra principalmente para frear o uso do bitcoin em um momento de recuperação global de todo o setor cripto. O ether (ETH), segunda maior criptomoeda do mercado, também se tornou uma alternativa viável para pagamentos eletrônicos no país. Ambas moedas digitais quebraram sucessivos recordes de preço nesta semana após a Coinbase, maior exchange de criptomoedas dos Estados Unidos, começar a negociar ações na bolsa de valores Nasdaq.

Proibições impactam no preço do bitcoin

Decisões como a do governo turco impactam fortemente o mercado de criptomoedas, principalmente os maiores nomes do mercado. O bitcoin se tornou um grande alvo de investimentos institucionais ao longo de 2021, a Tesla e a Microstrategy investiram bilhões de dólares na moeda digital diante de uma tendência de aceitação e legitimação do mercado.

Porém, quando proibições e banimentos ocorrem, empresas perdem a confiança no investimento em criptoativos e os preços despencam. A China mantém fortes regulamentações sobre o mercado de moedas digitais, que são vistas pelas autoridades chinesas como uma ameaça ao seu controle monetário e ao recente iuan digital.

O governo da Nigéria vem aplicando duras proibições no uso do bitcoin e de outras criptomoedas no país para preservar o valor e soberania da moeda local naira. A Índia também anunciou recentemente novas regulamentações, principalmente para aumentar o controle fiscal e prevenir atividades ilícitas, mas proibições seguem sendo discutidas pelo governo indiano.

Com informações: Wall Street Journal



Fonte Notícia

Please follow and like us: