Pfizer: CEO diz que vacina contra Covid-19 vai precisar de reforços

[ad_1]

Segundo o chefe da gigante farmacêutica americana, Albert Bourla, as pessoas que receberam a vacina da Pfizer “provavelmente” irão precisar de uma terceira dose dentro de seis meses a um ano, e em seguida, uma injeção a cada 12 meses.

Bourla falou em uma entrevista exclusiva à revista econômica francesa Les Echos, que “após seis meses das duas doses, a proteção continua bastante elevada, mas não tanto quanto nos dois primeiros meses, quando ela atinge 95%. Ela vai diminuindo, mas continua superior a 80%. Parece que será necessário um reforço, mas ainda não temos mais detalhes”.

Foto: Reprodução/Getty Images

O CEO também acrescentou que “por outro lado, as variantes terão um papel fundamental. É extremamente importante minimizar o número de pessoas vulneráveis ao vírus”.

O diretor da célula de combate à Covid-19 do governo americano, teria declarado anteriormente que os americanos deveriam esperar receber uma injeção de reforço da vacina para se protegerem das variantes do coronavírus em circulação.

Em fevereiro, a aliança Pfizer/BioNTech havia anunciado que estudava os efeitos de uma terceira dose de uma vacina contra variantes em um estudo clínico. Assim como a vacina Moderna, ela usa uma tecnologia inovadora de RNA mensageiro nunca antes usada.

Até o momento, essas duas vacinas são as que funcionam melhor, com a vacina Pfizer/BioNTech apresentando 95% de eficácia contra a Covid-19 e a Moderna, 94,1%, de acordo com estudos clínicos.

LEIA MAIS

Brasil recebe 2,3 milhões de kits de intubação vindos da China

CPI da Covid: Renan Calheiros é escolhido como relator da investigação

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

[ad_2]

Fonte Notícia