Mensagens demonstram interesse por trás da saída de comandante da PF, responsável pela denúncia contra Salles


Alexandre Saraiva, foi exonerado do comando da PF no Amazonas pelo atual diretor-geral Paulo Maiurino, é citado em troca de mensagens de madeireiros investigados pela corporação como o “alvo a ser abatido”.

As mensagens investigadas pela Polícia Federal mostram conversas entre madeireiros que demonstram querer a troca do delegado. Em 2 de setembro de 2019, o investigado Roberto Paulino encaminha uma foto de Saraiva e diz “Alvo a ser abatido”.

Conversas encontradas pela PF; madeireiros falam que Alexandre Saraiva é “alvo a ser abatido” ; Foto: Polícia Federal/Arquivos

“A frase indica que todas as possibilidades para remover o superintendente da Polícia Federal no Amazonas estão sobre a mesa, em outros termos, caso as vias políticas e/ou judiciais e disciplinares não surtam efeito, não está descartado o uso da violência”, diz a PF.

No diálogo, segundo provas da PF, eles falam em pedir ajuda para o ‘Júlio’ retirar o delegado Saraiva, ele seria representante dos madeireiros.

“Tem que pedir para o Júlio tirar esse cara daqui. Urgente”, diz Paulino. “Ele vai quebrar todos”, responde Humberto.

As conversas foram coletadas no inquérito da operação Arquímedes, que investigou a apreensão de 444 contêineres com madeira ilegal.

O que aconteceu antes…

A Polícia Federal no Amazonas enviou, nesta quarta-feira (15), ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma notícia-crime contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o senador Telmário Mota (PROS-RR) por 200 mil metros cúbicos de madeira extraídas ilegalmente, no valor de R$ 130 milhões, foram apreendidos pela Polícia Federal no Amazonas.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, definiu tal acusação como “absurda” e “sem fundamento”. Ele acrescentou que irá responder “na forma de lei dentro do processo”.

Juntamente com o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, o senador Telmário Mota (Pros-RR) foi denunciado pelo delegado federal Alexandre Saraiva ao STF na quarta-feira (14).

Na notícia-crime, eles são acusados de obstruir uma investigação, interferindo no Ibama com objetivo de atuar em favor de investigados da Operação Handroanthus GLO, no final do ano passado, a qual havia levado a uma apreensão recorde de madeira ilegal na região amazônica.

A acusação foi redigida pelo então superintendente da PF (Polícia Federal) no Amazonas, Alexandre Saraiva, que foi demitido do cargo na tarde desta quinta-feira (15).

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Moraes pede tempo para analisar decretos das armas e suspende julgamento no STF

Bruno Covas tem ‘novos pontos’ de câncer no fígados e nos ossos, segundo boletim médico

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:



Fonte Notícia

Please follow and like us: