Indígenas que vivem em contexto urbano recebem primeira dose da vacina contra Covid – Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

[ad_1]

Neste domingo (11), teve início a vacinação de indígenas que vivem na aldeia urbana Marçal de Souza, em Campo Grande. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), 644 indígenas receberam a primeira dose do imunizante contra a Covid.

Para a Subsecretária de Estado de Políticas Públicas para a População Indígena, Silvana Terena, a ação foi resultado de constantes tratativas envolvendo o Estado e o Município. “Em janeiro deste ano nos reunimos com o secretário de saúde do estado, do município e com o coordenador do DSEI. E levamos as demandas sobre a vacinação do nosso povo que vive em aldeias urbanas, pois não estavam inseridos no grupo de prioridade de acordo com a primeira fase do Plano Nacional de Imunização, do governo federal. ”

A Subsecretária explica ainda que, “o fato de o indígena estar fora da aldeia não faz com que ele deixe de ser indígena, e o contato com os parentes é constante, pois temos familiares nas aldeias, não nos desligamos das nossas origens. ”

Infelizmente em algumas comunidades, pessoas têm resistido a receber a dose, influenciadas por mentiras que questionam a eficácia e a segurança dos imunizantes. “Nós estamos num árduo trabalho de levar esclarecimento até as comunidades e explicar a importância da vacina”, finaliza Silvana.

Importante ressaltar que os indígenas que residem em contexto urbano devem realizar um cadastro prévio para receber a primeira dose da vacina, acessando o link: http://vacina.campogrande.ms.gov.br/

A estimativa do Plano Municipal de Saúde (PMI) é imunizar contra o novo coronavírus 2.300 indígenas que vivem no contexto urbano e comunidades de Campo Grande. A secretaria informou que o quantitativo é estipulado com base no público atendido em campanhas anteriores de vacinação, como a da Influenza.

Jaqueline Hahn Tente, Secid

[ad_2]

Fonte Notícia