Estudo mostra que a eficácia da CoronaVac aumenta com intervalo maior entre as duas doses

[ad_1]

Neste domingo (11) foi divulgado o estudo clínico final sobre a Coronavac que mostra que a eficácia da vacina aumentou em relação aos resultados iniciais divulgados entre dezembro e janeiro. O estudo foi conduzido pelo Instituto Butantan.

De acordo com o estudo, a eficácia da CoronaVac pode alcançar 62,3% com um intervalo de mais de 21 dias entre a aplicação das duas doses da vacina. No entanto, a eficácia mínima da vacina aparece na segunda semana após a primeira dose.

Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

Segundo o artigo científico, publicado na revista Lancet, para casos sintomáticos de Covid-19, a eficácia chegou a 50,7%, que antes tinha sido registrada como 50,38%. Ou seja, a vacina reduz pela metade os novos registros de contaminação na população vacinada.

Coronavac: governo de SP diz que irá receber insumo da vacina em dois lotes, o 1° no dia 20

Além disso, para casos que precisam de assistência médica, os resultados do estudo afirmaram que a eficácia da vacina variou entre 83,7% e 100%, em contraste com o estudo inicial que indicava um índice de 78% a 100%.

A vacina também se provou eficaz contra as variantes brasileiras P1 e P2 do vírus, o que já havia sido defendido pelo governo paulista desde o início de março.

O índice de efetividade global aponta que o imunizante protege em todos os casos da doença, sejam eles leves, moderados ou gravez.

O número mínimo de eficácia recomendado pela Organização Mundia de Saúde (OMS) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de 50%.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

CoronaVac parece ser segura e capaz de provocar reações imunológicas em crianças e adolescentes,

Coronavac apresenta até 73,8% de eficiência após segunda dose, diz estudo do HC

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

[ad_2]

Fonte Notícia