Em reunião com ministro, produtora rural de MS se desespera e pede socorro
Por Redação Publicado 15 de julho de 2015 às 09:29hs

Em mais uma das várias reuniões realizadas entre produtores rurais, políticos da bancada federal e o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com objetivo de solucionar o conflito fundiário do Estado, uma produtora rural levantou a voz e fez um pedido de socorro emocionado ao ministro. A reunião ocorreu ontem (14), em Brasília e mais uma vez terminou sem nenhuma solução concreta para o problema.

Em cerca de 2 minutos de desabafo, a produtora de Mato Grosso do Sul pede ajuda ao Ministro e se emociona ao relatar os problemas que passa na propriedade.

“Quero que vocês tomem providência, a situação está feia. Sou uma mãe de família, trabalhei a vida inteira. Eles [índios] têm direitos, mas nós também, aquela é uma área que não é indígena”, diz a mulher, aos prontos.

Em sequência no desabafo, a produtora se desespera ao contar a todos qual é a situação que vive hoje em sua propriedade.

“É um pedido de uma mãe que está suplicando, eu peço do fundo do meu coração e de uma alma que clama. Não aguento mais, vemos índios andando de caminhonete e sendo escoltados, nós estamos correndo risco. Eu fiquei sem nada dentro de casa, levaram tudo, levaram as lembranças dos meus filhos. Não tenho casa, não tenho terra, não tenho nada”, desabafa a produtora.

Confira abaixo o vídeo na íntegra:

CONFLITO
No início do mês, reuniões sobre o mesmo tema foram realizadas na Associação dos Municípios do Mato Grosso do Sul (Assomasul) e na Assembleia Legislativa. Houve baixa participação de indígenas em ambos os casos e consenso de que somente a “pressão política” ao governo federal pode solucionar a demanda por demarcações e indenizações.

Em junho, o ministro José Eduardo Cardozo negou que as demarcações tenham sido paralisadas. “Estamos tentando mediar os conflitos. O radicalismo de um lado ou de outro motiva o acirramento dos conflitos. E então, só com mediação, verificando a possibilidade de contemplar o direito de todos os envolvidos”, justificou à Agência Brasil.

Senadores sul-mato-grossenses, Waldemir Moka e Simone Tebet (PMDB) integram parte da bancada federal que defende a aprovação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 71. Esta permite a indenização de possuidores de títulos relativos a terras declaradas como indígenas expedidos até o dia 5 de outubro de 1988. Votação da proposta estaria prevista para esta semana.

Por outro lado, na Câmara dos Deputados a luta é pela aprovação da PEC 215, que transfere ao Congresso o poder das demarcações e não a Fundação Nacional do Índio (Funai).

Fonte: Correio do Estado/Aliny Mary Dias