Em reunião com investidores, Mourão defende o teto de gastos e argumenta “se país quebrar vamos ficar igual a Argentina, eterno mendigo”


O vice-presidente, ao criticar o país vizinho, comentava sobre a questão orçamentária e defendendo o respeito ao teto de gastos, quando comparou a situação do Brasil com a Argentina

Por: Larissa Placca | 08 abril – 23:28

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) chamou a Argentina de “eterno mendigo” durante um evento virtual com investidores nesta quinta (8).

Mourão, ao criticar o país vizinho, comentava sobre a questão orçamentária e defendendo o respeito ao teto de gastos, quando comparou a situação do Brasil com a Argentina.

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB); Foto: Agência Brasil/Divulgação

“Uma coisa é clara: temos que operar dentro do limite da âncora que temos hoje que é a questão do teto de gastos”, disse o vice-presidente. “Não podemos fugir da âncora fiscal, senão o país quebra e, se o país quebrar, vamos ficar igual ao nosso vizinho do sul, igual à Argentina, eterno mendigo.”

“A sociedade tem que entender que acabou a era do dinheiro fácil. O próprio estamento estatal, o funcionalismo público tem que entender que só pode haver aumento salarial se houver aumento da arrecadação que vem no rastro de aumento do produto interno bruto, fruto de um desenvolvimento sustentável”, afirmou o vice.

Hamilton Mourão ainda encerrou sua apresentação citando um filme de ficção. “O medo gera raiva, a raiva gera ódio e o ódio gera ressentimento. Isso aí foi dito pelo Mestre Yoda, lá na série Star Wars. Vamos lembrar: Yoda, hein?”.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Câmara dos Deputados deve debater educação domiciliar na primeira infância

Compra de vacina por empresas: líderes acreditam que adiar a análise do projeto no Senado seria o ideal

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:



Fonte Notícia

Please follow and like us: