Crise financeira aumenta evasão no EAD, aponta pesquisa – Notícias









Censo da EAD (Educação a Distância), realizado pela ABED (Associação Brasileira de Educação a Distância), aponta que neste período de pandemia o número de matrículas na modalidade aumentou em 50%, mas para 70% dos que responderam a pesquisa, o impacto da crise financeira agravou a inadimplência e a evasão escolar.


Para a realização da pesquisa, a associação contou com a participação de 51 instituições de ensino de praticamente todo o país, sendo 78,43% das respondentes pertencentes ao setor privado e 21,57%, ao setor público. Além de instituições de ensino superior, participaram da pesquisa escolas de ensino fundamental e médio. 









Para Betina Von Staa, coordenadora da pesquisa, o estudo possui duas vertentes. A primeira é a avaliação positiva da modalidade.  O EAD oferece qualidade e condições de flexibilidade ao estudante, permitindo o aprendizado colaborativo e tecnológico”, explica. “A metodologia de ensino a distância tem avançado bem nos últimos anos no Brasil, principalmente para os cursos do ensino superior, oferecendo atendimento personalizado como a aproximação entre aluno e professor (ensino-aprendizagem) e isso tem tido resultados satisfatórios”, diz.


O segundo ponto apontado pela coordenadora da pesquisa, no entanto, é negativo e diz respeito ao índice do abandono escolar, seguido pelo aumento das taxas de inadimplência. Segundo Betina, este fato se deve a crise econômica. “Nós já tínhamos um problema de evasão escolar, mas que acentuou nesta pandemia. Alunos que não se adaptam às novas ferramentas digitais ou que não se identificam com o curso escolhido já abandonavam a modalidade antes”. Para ela, no atual momento, “estudantes em ascensão profissional e a redução salarial ofertada contribuem para os índices de desistência”.


Dados do censo indicam que para 21,6% das instituições que participaram do levantamento, a inadimplência aumentou 50%. A taxa de evasão nos cursos de ensino a distância aumentou em até 50% em 27,5 instituições.


O estudo informa que para mais de 70% a crise econômica é a responsável pela evasão escolar e pedidos de descontos. Outros 47,1% atribuem à dificuldade dos alunos de se adaptar ao ensino remoto emergencial.


Após críticas, MEC promete ações para apoiar escolas na pandemia


Ela ainda explica que enquanto houver pedidos de desconto pelos estudantes é sinal de interesse aos estudos, “cabe às instituições de ensino, de acordo com os protocolos internos, a negociação, a análise para prorrogação de pagamento ou recursos de financiamento estudantil ao aluno, para de evitar o abandono escolar”, finaliza a coordenadora.


O estudo ainda mostrou que 34% das instituições de ensino viram um aumento significativo no número de matrículas dos cursos a distância e que a procura pela modalidade aumentou em até 50% durante a pandemia do novo coronavírus.


*Estagiário do R7 sob supervisão de Karla Dunder










Fonte Notícia

Please follow and like us: