Anvisa vai monitorar distribuição de oxigênio

[ad_1]

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou que fabricantes e distribuidores de oxigênio medicinal devem informar sobre capacidade de fabricação, envase e distribuição, além dos estoques disponíveis do produto.

A medida foi estabelecida em edital publicado na sexta-feira (12) no Diário Oficial. A Anvisa ressalta que os dados deverão ser enviados toda quarta-feira.

Foto: Divulgação/Secom

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Entenda como usar as máscaras PFF2 e N95

Brasil tem 3º dia com mais de 2.000 mortes por covid em 24h

Em meio a explosão de internações por covid-19 no Brasil e o histórico de grande colapso de falta de oxigênio em Manaus,  a medida visa minimizar o risco de desabastecimento do produto.

“O objetivo é monitorar o abastecimento de mercado e a quantidade demandada de oxigênio medicinal, com o intuito de minimizar o risco de desabastecimento do produto. Dessa forma, o Ministério da Saúde poderá ter previsibilidade sobre o abastecimento de mercado, permitindo a adoção, em tempo hábil, das medidas necessárias à garantia de fornecimento do oxigênio medicinal”, afirmou o órgão, por meio de nota.

Colapso em Manaus

No início do ano, a capital do Amazonas, Manaus, enfrentou um colapso no sistema de saúde provocado pela falta de oxigênio para pacientes com covid-19. Cerca de 30 pessoas morreram asfixiadas sem oxigênio e várias tiveram que ser transferidas para outros estados.

 O governo federal enfrenta no Supremo Tribunal Federal (STF) um inquérito que apura se o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi omisso no enfrentamento da pandemia na localidade.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

[ad_2]

Fonte Notícia