Ação quer tirar Cidade Morena da liderança no índice de infestação de focos do Aedes Aegypti
Por Redação Publicado 28 de fevereiro de 2018 às 10:32hs

A região das Moreninhas, abrangendo além da Vila Cidade Morena, os bairros Santa Felicidade,  Nova Capital e Jardim Gramado, prepara-se para receber de 5 a 9 de março ampla ação contra o Aedes aegypti.

A mobilização conta com total apoio do líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Chiquinho Telles (PSD), que convoca os moradores para levar materiais de grande volume para os ecopontos, sendo um na Associação de Moradores da Vila Cidade Morena, outro na obra da Igreja Evangélica do Pastor Marcelo (no Nova Capital).

Segundo o Vereador, é muito importante que a população participe desta ação, conscientizando-se da preocupante situação em que se encontra a região. Conforme Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), de janeiro deste ano, apresentado no Comitê Municipal de Combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chicungunha nesta terça-feira (27/2), a região de atuação da Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Cidade Morena é  líder no Índice de Infestação Predial (IIP), apresentando 11,7% dos imóveis com focos do mosquito, considerado risco de haver uma epidemia.

O Projeto Cidade Limpa, ressaltou Chiquinho Telles, “é uma grande oportunidade para que os moradores se mobilizem, para juntos, reduzirmos de forma expressiva esse alarmante índice de focos do Aedes aegypti. Se cada um fizer a sua parte, essa será mais uma ação vitoriosa a favor da saúde das famílias campo-grandenses”.

O que pode

Os moradores poderão levar para os ecopontos materiais que possam acumular água, tais como: sofás, geladeiras, fogões, pias, vasos sanitários, televisores, carcaça de computadores, máquinas/tanquinhos, tanques de lavar roupas, armários de aço, guarda-roupas, carrinhos de mão (carriola) e pias de cozinha.

Não pode

Os ecopontos não vão receber entulhos e restos de construção, podas de árvores, pneus, animais mortos, lixo doméstico e madeiras.

Vale alertar que não serão recolhidos os materiais depositados em frente às residências e os moradores estão sujeitos à multa.